terça-feira, 26 de novembro de 2013

meus sentimentos

queria eu,
que estivesse em meus braços,
queria sempre ver teu sorriso
o brilho de teu olhar
que transparecem em teu rosto
mas sei que estamos em direções opostas
isso se torna uma agonia dia apos dia 
lágrimas sobre lágrimas
as vezes me  sinto
morrendo por hora
por não poder gritar
o que sinto agora,
e aliviar meu peito...
ruas vazias por onde passo
dias escuros e o que vejo
a esperança se afasta
e eu fico na farsa de um dia...
mas a dor só aumenta
eu fico sem rumo
a esperar, esperar...
pelo momento que você seja minha.






sábado, 2 de novembro de 2013

Largado aos cantos

Largado aos cantos

Largado aos canto fico,

Chorando a sua volta

Sem ter motivos você se foi

Eu aqui fiquei a sós

Com um nevoeiro imenso

que não passa, não abre

fui perdendo teus passos

pelos longos caminhos

 da vida...

Gilliard Quadrado xavier

O mesmo de ontem


Mesmo de ontem
Esse tal silêncio oportuno
me faz esperar, os dias que não
chegam e as horas que não passam
Sempre á mesma coisa sem graça.
Da vida as feridas que fecham e tornam
a doer...
E esse coração que não para de bater,
para acabar com essa aflição
que dizem não ter cura
que chamam de solidão.

Tua falta

















Tua falta...
Lua clara imune,
ressalta á sombria noite
que pune no oculto
suas estrelas,
Deixando me a desvariar
sem ter atua beleza e
teu olhar,
fico aqui, ou lá
somente a clamar, tua falta
com o nada á ter
sentindo os beijos
de minha amada,
Deixando marcas que o tempo
não apaga
apenas a noite guarda,
em sua escuridão.

Gilliard Quadrado Xavier

Marcas




A solidão se aproxima
dia se afasta
ressaltando a noite, que caí,
manchando com cinzentas nuvens
o horizonte, afogando no mar
que ainda brilha
com o deitar do sol
caindo um andar solitário
de quem fez do luar, seu lar
juntando incertezas
colecionando amarguras
conquistando tristezas
fazendo de si
um poço sem fundo
onde lateja um coração
marcado que não sabe
o que é amor...

Saudade de meu avô




Não penso para não chorar
se choro, e´ para não falar
o que pensei...
Não existe palavras para
apartar este sentimento
de lados diferentes
horas sorrir fazendo me, outrora
magoam a gente...

Enoitar



Street, raw, moon, black
my little
a little


our very
all naked
where these


where do you come


P'ronde vas


If you have no end

Where these.


version in English of one of the beautiful poetry I've ever done ...

by Xavier Quadrado Gilliard

Ver além das letras




coleciono meus versos
com restos de passado
com incertezas do futuro,
vivendo o presente
melhor que o de ontem

Traço assim,
minhas variadas linhas
sem saber como terminam
somente com a sina
do dever realizado

Através de meus versos
escrevo o que senti
o que sinto,
e o que quero sentir
ou o mais próximo deles...

Sou o melhor que posso ser
mas não tente me entender
pois as coisas são simples
nos é que as complicamos
tudo acontece sem percebemos,

Se não entendo
o que escrevo
o que falo,
não mais falo
e não escrevo,

Sigo com as minhas incertezas
que não compreendo em silêncio
latejando em meu peito
sem tentar lhe explicar
ou me confundir.

perguntam me a que conclusão cheguei?
digo vos, não sei!
mas me sinto aliviado
por essas palavras dispersas
que ressaltei...

Extraídas do meu pensar
palavras obscuras,
rebeldes, deprimidas,
um pouco de tudo
misturadas com amor...

Esse sentimento que perturba me ao falar
por ser belo? não sei!
por estar ligado a meus versos ou
ao meu pensar,
quem sabe!

um pouco de tudo
as vezes não vale nada
se não pensar num todo
ler não é sempre o suficiente
tem que entende-los, senti los

O fim de tudo isso
é quando o sono me contrai
ou finda a tinta
acaba as letras ou
termina as linhas...

Pois não quero que percam tempo
lendo rascunhos de um insano
se nada vão compreender,
perceber,
lê por ler, tanto faz...

Se o entendimento for esse, fico ledo!
com o rusticismo das palavras
pois não me cativa bons leitores
que sejam maus entendedores
da escrita poética,

Termino aqui com meu véu
de contemplações
a quem sentiu emoções
ao ler ou escutar
um simples verso ou prosa

Sendo o que mais quero é o amor para todos
deixando assim para os poetas
as incertezas, solidão e dor
para o desabrochar de seus versos
com a certeza do amor de quem os lê.

Se por ventura algum dia alguém
se dispuser a ler esses versos
desculpem me pela falta de graça ou rima
pois minha sina,
é escrever, escrever...

saiba também que neste momento
estou muito feliz
por fazer o que quis
sem pedir nada a ninguém
ler é ver além das letras.

Gilliard Q. Xavier

PoemasVersosPoesias

PoemasVersosPoesias
A origem da vida...é o ciclo em movimento.

Esse Blog é para os amantes da poesia ,versos e poemas

Minha foto
ELDORADO DO SUL, RGS, Brazil
Um escritor que vive no anonimato Graduado em gestão imobiliária e licenciado em Geografia.